sexta-feira, 4 de setembro de 2009

A TV-COLOR - UMA INVENÇÃO DO JAIR LOTTO

.

Abro este espaço hoje, para fazer uma homenagem àquele que foi um dos raros inventores de nossa cidade: me refiro ao popular Jair Lotto – sim o Jair Lotto, figura constante nos clubes e bares da moda, atualmente frequentando o bar Saito, o Barril do Pirata e o bar do Vantin. Os jovens de hoje desconhecem essa faceta sua: o "Jair inventor", mas por um período de sua vida, anos 50 e 60, ele pôs em prática esse seu talento em prol dessa ingrata cidade.

O que irei comentar aqui é sobre uma de suas invenções que ficou marcada na memória da maioria das pessoas que freqüentavam a praça Barão do final da década de 1960 até meados da de 90.

Esse curioso invento, que foi batizado como “TV-Color”, era um enorme projetor de slides à cores, utilizado para veicular propagandas diversas como numa tela de cinema. A idéia surgiu após o Jair ter visto um projetor pertencente ao senhor Cotegipe Morgado, em 1968.

Não é exagero dizer que, pelo menos em termos de Araras, a TV-Color foi uma precursora dos modernos “telões”. Surgida numa época em que a TV colorida e o out-door inexistiam na cidade, ela deu um enorme ibope quando foi inaugurada. Por ter ser sido criada com fins propagandísticos, podemos afirmar também que ela precedeu os modernos painéis eletrônicos que vemos hoje pela cidade. O Jair me garantiu: –“As pessoas pensavam que era uma TV à cores” (a TV à cores surgiu em Araras em 1973). A TV-Color, no período que vai de 1970 à 1995, funcionou em cima da banca do jornaleiro “Caju”, em frente onde hoje se situa o caixa-eletrônico do Santander. Ironia do destino, o espaço que era destinado à ela, hoje está ocupado por um painel eletrônico da empresa Perin.

Quando ela foi inaugurada, ainda em fase de testes – era abril de 1968 –, uma verdadeira multidão se reuniu na praça para ver a engenhoca criada pelo conterrâneo inventor. No começo, até os jovens que faziam o footing na praça “saíam de órbita” só para assistir a TV-Color do Jair. Na verdade, a tela de projeção era voltada para a rua, e foi assim direcionada de modo a chamar a atenção dos motoristas que por ali passavam. A foto acima é do final da década de 1980, e, segundo o próprio Jair, é talvez a única existente do seu invento.

Até então, as pessoas estavam acostumadas apenas a ver na praça as propagandas comerciais estampadas no encosto dos bancos da praça, bancos estes inaugurados em 1955. Ele iniciou o empreendimento utilizando um projetor de slides em parceria com o amigo Gilberto Alberici. Em junho deste mesmo ano (1968), o Jair se acidentou e não pode dar continuidade ao negócio. Dois anos depois, em janeiro de 1970, ela voltaria com a carga toda e inovações. A cada 15 segundos, eram projetados 80 slides dispostos em dois carrosséis, sendo 60 de propagandas diversas e o restante de paisagens naturais. Era o próprio Jair quem vendia as propagandas e confeccionava o material para a projeção, montando-os num painel de cartolina com letreiros e o logotipo coloridos, que, posteriormente, eram fotografados em slides à cores.

O sistema de projeção, que era automático e dispensava uma pessoa para avançar os slides, foi criado pelo próprio Jair, que também era o projetista da armação de formato cônico, de cerca de 2 metros de comprimento, onde, em seu interior, havia numa extremidade um projetor Kodak "Guiby" 800 (foto), do tipo carrossel, e, na extremidade oposta, uma tela branca de 1,10 x 0,85 mts, adaptada de um tecido isolante de transformador. Era um projeto com controle remoto de foco e troca de slides e objetiva zoom. Na época, esse projetor valia em torno de 2 mil cruzeiros, o que hoje corresponderia à 4 mil Reais, portanto, um aparelho caro para os padrões da época, mas hoje ele pode ser encontrado por preços que vão de desde 120 a 1,5 mil reais no mercado de aparelhos usados.

Tempos depois, em 1972/73, um amigo seu – por sinal um outro inventor –, o senhor Salvador Gentile, emprestou ao Jair uma “vitrola de fita” da marca Mundis, e as pessoas, além das projeções, podiam então ouvir músicas que eram tocadas ininterruptamente por um sistema de repetição. Ela funcionava aos sábados e domingos, das 20 às 24 hrs. E assim, ela atravessou décadas, e após funcionar por um quarto de século, foi removida sabe-se lá porque junto com a banca de jornal em 2005.

Os telões, out-doors e painéis eletrônicos da atualidade talvez causem mais frisson nas pessoas, mas nenhum deles, com certeza, marcou tanto e deixou tantas saudades como a TV-Color do nosso grande e estimado inventor Jair!

Antes de finalizar, gostaria de esclarecer que o senhor Salvador Gentile (sim, o do centro espírita IDE) foi o inventor do belíssimo e ótimo rádio FM “Salgent”, que muitas pessoas ainda possuem na cidade, aparelho este que, me recordo, foi meu primeiro amplificador de guitarra. Em breve falarei desse receptor e seu criador.

Manual do projetor Kodak Guiby:

http://www.dantiques.com/kodak650/index.htm

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário